O povoamento iniciou-se em 1424, quando a ilha da Madeira foi dividida em duas capitanias.A capitania do Funchal coube a João Gonçalves Zarco que aqui se fixa com os seus familiares.

Com a sua posição geográfica, a existência de um bom porto maritimo e a produtividade dos seus solos, constituiu-se cedo um importante núcleo de desenvolvimento da ilha. A designação de Funchal deve-se à existência da planta aromática designado por funcho que abundava no burgo primitivo e se alargava até à beira-mar.

Recebeu o primeiro foral entre 1452 e 1454, que o elevou a vila e a sede de concelho, em 1508 é elevada a cidade e em 2008 são comemorados os 500 anos.

Quanto a acontecimentos marcantes neste concelho, pode-se mencionar a instalação de comerciantes vinícolas ingleses, no século XVII, que modificaram os modos de vida, a morfologia arquitéctonica e o desenvolvimento económico da cidade.

A nivel de património arquitectónico, destacam-se alguns edifícios: Igreja e Mosteiro S.Clara, construídos emtre 1489 e 1496, em estilo hispano-árabe, o Palácio S.Lourenço da primeira metade do século XVI, a Sé Catedral, projectada por Pêro Annes a mando do rei D. Manuel I e que tem um dos mais belos tectos de Portugal feitos com a madeira da Ilha, contém uma mistura de estilos arquitectónicos: o flamengo, com linas góticas e caractéristicas do estilo Manuelino foi terminada em 1514 ano em que é também elevada a bispado.Edifícios também importantes são: o paço episcopal, o palácio do governo regional, a câmara municipal do Funchal, o teatro Baltasar Dias, os museus das Cruzes, Municipal e de Arte Sacra.O forte do ilhéu e a fortaleza do Pico são monumentos históricos que marcaram a necessidade de um bom sistema defensivo contra os frequentes ataques de piratas e corsários.

As personalidades marcantes que passaram pelo Funchal foram: Elizabeth Wittelsbach, conhecida como Sissi imperatriz da Áustria (1837- 1898) que procurou esta cidade por motivos de lazer e de saúde, Carlos I, Imperador da Áustria e rei da Hungria, naturais do concelho o pintor Henrique Franco, e Edmundo Bettencourt famoso poeta, Winston Churchill que passou pelo Funchal de férias onde pintou alguns quadros, Fulgêncio Batista que fez uma escala no Funchal para o exílio em Espanha.